Banco Alimentar

Os Bancos Alimentares Contra a Fome são…

 

  

          Uma resposta necessária mas provisória, porque “toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente que lhe assegure e à sua família, a saúde e o bem-estar, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário, ao alojamento, à assistência médica e ainda aos serviços sociais necessários” (Excerto do artigo 25º da Declaração Universal dos Direitos do Homem).

Uma vocação

            Os Bancos Alimentares são Instituições Particulares de Solidariedade Social que lutam contra o desperdício de produtos alimentares, encaminhando-os para distribuição gratuita às pessoas carenciadas.

….Uma ética

            A ação dos Bancos Alimentares assenta na gratuitidade, na dádiva, na partilha, no voluntariado e no mecenato.

….Um compromisso

            Os Bancos Alimentares em atividade recolhem e distribuem várias dezenas de milhares de toneladas de produtos e apoiam ao longo de todo o ano, a ação de instituições em Portugal. Por sua vez, estas distribuem refeições confecionadas e cabazes de alimentos a pessoas comprovadamente carenciadas, abrangendo já a distribuição total mais de 390.000 pessoas.

            A Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome coordena esta ação, anima a rede disponibilizando informação e meios materiais, representa os Bancos Alimentares Contra a Fome junto dos poderes públicos, das empresas de âmbito nacional e de organizações internacionais e efetua, a nível nacional, a repartição de algumas dádivas, criando uma vasta cadeia de solidariedade.

            Os Embaixadores do Parlamento Europeu, do Agrupamento de Escolas de Moimenta da Beira decidiram juntar-se ao Banco Alimentar Contra a Fome na angariação de alimentos, na campanha que decorreu a nível nacional nos dias 1,2 e 3 de Dezembro.

            A  Campanha decorreu sob o mote “É bom saber que ainda há desejos que podemos tornar realidade” em 4 supermercados da vila tendo tido muita grande adesão.

            Esta campanha para além de desenvolver competências pessoais nos alunos, também serviu para implementar os princípios do voluntariado contribuindo para a formação de cidadãos mais participativos e intervenientes na ajuda da resolução de problemas sociais.

https://www.bancoalimentar.pt