Receção aos professores e alunos do Projeto Comenius – Portugal

30 de Abril de 2013

IMG_4211

Professores e alunos envolvidos no projeto, na Quinta da Pacheca

 

Foi com notória satisfação e contagiante entusiasmo que, no âmbito do projeto Comenius “Voices from the sea”, a Escola Básica e Secundária de Moimenta da Beira acolheu trinta e cinco professores e alunos provenientes de seis países, nomeadamente Irlanda, Turquia, Estónia, França, Alemanha e Itália.

No dia catorze de abril, os professores e alunos portugueses ligados ao referido projeto deslocaram-se ao Porto, a fim de os receber. Evidentemente que não se podia descurar a oportunidade de dar a conhecer aos visitantes alguns, dos muitos, pontos de interesse da cidade Invicta. Assim, visitaram o Café Majestic, um dos mais bonitos do mundo e a Torre dos Clérigos, considerada o ex-libris da cidade. Ficaram ainda a conhecer a Avenida dos Aliados, assim como o edifício da Câmara Municipal, a Ribeira e a Foz. Refere-se, ainda, que os alunos portugueses elucidaram, na língua de comunicação do Comenius – Inglês -, todos os visitantes relativamente aos locais visitados na cidade. À noite, à chegada à escola, todos manifestaram interesse em apreciar o mapa afixado no portão, no qual se podiam ver as distâncias de cada escola estrangeira à nossa. À entrada, estavam também hasteadas as bandeiras de todos os países.

No dia seguinte, de manhã, na escola, os alunos portugueses e estrangeiros apresentaram, em Inglês, diversos trabalhos relacionados com temas marítimos, visto que o tema do projeto é “Voices from the sea”. No mesmo dia, à tarde, na Régua, os alunos portugueses explicaram, sucintamente e em Inglês, o que eram os barcos rabelos – o seu auge e o seu declínio. Visitámos também a Quinta da Pacheca, pois quisemos proporcionar-lhes uma visita a umas caves de vinho do Porto. Todos os visitantes apreciaram ainda os socalcos do Douro, tendo os alunos portugueses fornecido diversos tipos de informação relacionada com toda a região, nomeadamente o facto de ter sido a primeira região vinícola demarcada e ter sido considerada, em 2001, pela Unesco, Património Mundial. Antes de regressarmos a Moimenta, desfrutámos da paisagem duriense deslumbrante no miradouro S. Leonardo de Galafura.

Na sexta feira, em Ílhavo, visitámos o Museu da Vista Alegre. Em Aveiro, demos um passeio nos típicos barcos moliceiros. Na Costa Nova, foram muito apreciadas as características casas de riscas garridas.

No sábado de manhã, os professores ligados ao projeto tiveram uma reunião de trabalho no hotel Verdeal, no qual todos os professores estrangeiros estavam alojados. Dirigimo-nos, depois, para Leomil, a fim de visitarmos os Moinhos da Tia Antoninha. Este empreendimento auto-sustentável, em termos energéticos, foi muito apreciado pelos visitantes, pelo facto de se situar num local bucólico interessante.

Seguidamente, dirigimo-nos para o Hotel Rural de N. Sra. do Carmo, em Freixinho. A seguir ao almoço, todos tiveram a oportunidade de apreciar a beleza da Barragem do Vilar. À tarde, já na escola, em grupos multilingues, foram elaboradas várias colagens, com fotografias, trazidas por todos os países, relativas a aldeias piscatórias, faróis, moinhos situados junto ao mar, praias, etc. Não podíamos deixar de divulgar a onda gigante da Nazaré, assim como locais à beira-mar dos Açores e Madeira. Seguidamente, a atuação da Master Class da Escola Básica e Secundária revelou-se um ponto alto das actividades do dia. Posteriormente, foi oferecido um jantar de despedida, no qual participaram todos os professores e alunos estrangeiros, os alunos e professores portugueses envolvidos no projeto, assim como os encarregados de educação que assistiram à atuação da Master Class.

Refere-se ainda que, todos os dias, os alunos visitantes assistiram à primeira aula dos respetivos alunos portugueses que os alojaram.

No domingo de manhã, partimos para o Porto, a fim de acompanharmos todos os professores e alunos. Alguns grupos, como, por exemplo, o alemão, o estónio e o italiano, tiveram oportunidade de usufruir do tempo excelente, passeando, com delícia, ao longo da marginal da Foz.

Tinham terminado uns dias de trabalho profícuo e convívio agradabilíssimo, pelo que a despedida envolveu muitas lágrimas, não só da nossa parte, como dos professores e alunos que regressavam aos seus países. No entanto, a perspectiva do próximo encontro, na Itália, no início de outubro, atenuou um pouco a tristeza da partida e a consequente nostalgia.

 

                                                                                      As professoras, Aida Diamantino Cardoso, Graça Coutinho Mendes, Everilde Tojal Rebelo