Grupo COMENIUS em visita à Polónia

13 de Fevereiro de 2011

Professores e alunos na Polónia
Professores e alunos na Polónia

Foi concluída entre os dias 10 e 17 de Janeiro de 2011, a última etapa do projecto “Topscent Calendar Events”, apoiado pelo programa comunitário COMENIUS (Lifelong Learning Programme Comenius), com a viagem de seis alunos e quatro professores da Escola Básica e Secundária de Moimenta da Beira à Polónia.

Ao longo de dois anos lectivos, 24 alunos e vários professores participaram neste projecto que associou escolas de 5 países europeus: Kahramanmares (Turquia), Palermo (Itália), Kadrina (Estónia), Dabrowa Gorznica (Polónia) e Moimenta da Beira (Portugal).

A última mobilidade cumprida foi esta viagem a Dabrowa Gorznica, pequena cidade distante 86 km de Cracóvia (primeira capital da Polónia), 18 km de Katowice (o aeroporto mais próximo), 69 km de Czestochowa (onde se situa o mosteiro da Jasna Góra e o santuário da Virgem Negra, o maior centro de peregrinação de toda a Polónia) e a 79 km da terra natal de João Paulo II (Wadowwice).

Em pleno coração da Silésia, a comitiva foi recebida no seu parlamento regional (o maior da Polónia) e aqui os representantes de Portugal puderem oferecer ao seu presidente algumas recordações iconográficas de Moimenta da Beira.

A visita mais intensa e marcante foi a que levou o grupo ao complexo de Auschwitz-Birkenau, também conhecido como Auschewitz I e II.

Em Auschwitz I, situou-se o campo de concentração original que servia de centro administrativo para todo o complexo. Neste campo morreram perto de 70.000 intelectuais polacos e prisioneiros de guerra soviéticos, para além de prisioneiros comuns alemães, elementos anti-sociais e homossexuais. Em 1942, o campo abrigava vinte mil prisioneiros. Auschwitz II ou Birkenau era um campo de extermínio onde morreram aproximadamente um milhão de judeus e perto de 19.000 ciganos.

Este impressionante encontro com a mais emblemática face do holocausto acabou por marcar profundamente toda a viagem.

Os alunos foram acolhidos excelentemente por famílias polacas, fazendo com que o seu calor humano contrastasse com os frios campos de neve da dorida região da Silésia, cravada de minas de carvão escavadas com a vida de tantos e ao longo de tantos tempos.

Fica para trás a monumentalidade magnífica de Cracóvia, atravessada pelo rio Wistula, o mais longo rio da Polónia, com cerca de 1.047 km de extensão e cuja bacia hidrográfica banha cerca de 192 mil km2, ou quase dois terços da superfície do país.

Fica presente a gentileza de quem tão bem nos recebeu.

Felisberto Lima, Professor