AUTOR DO MÊS

HERBERTO HELDER

     Herberto Helder nasceu em 1930 no Funchal, onde concluiu o 5.º ano. Aos 17 anos muda-se para o continente e em 1948 matriculou-se em Direito na Faculdade de Coimbra e, mais tarde, em Filologia Românica, mas não conclui nenhum dos cursos. Teve inúmeros trabalhos e colaborou em vários periódicos como, por exemplo, Folhas de PoesiaCadernos do Meio-diaTávola RedondaJornal de Letras e Artes. Em 1969 trabalhou como diretor literário da editorial Estampa. Viaja pela Europa e em 1971 parte para África onde fez uma série de reportagens para a revista Notícias. Só depois do 25 de Abril de 1974 se fixa em definitivo em Portugal. Teve dois filhos, Gisela Ester Pimentel e o jornalista Daniel Oliveira. Em 1994 foi-lhe atribuído o Prémio Pessoa, que recusou. Faleceu em Cascais a 2 de março de 2015, tinha 84 anos.

     Considerado unanimemente um dos mais importantes nomes da poesia portuguesa contemporânea, a vida do poeta que procurava dizer “como tudo é outra coisa” permanece, em grande parte, envolta em mistério. Controverso, impossível de categorizar e, sobretudo, muito respeitado pelos seus pares e leitores, o autor manteve, ao longo da sua vida, uma grande distância da atenção mediática. Deste modo, conhecê-lo é possível, essencialmente, a partir da leitura da sua obra; conhecemos não o homem mas o poeta, essa criatura “mais mortal do que os outros animais”.

      A partir de 2015-2016, o poeta integra o Programa e a lista de poetas do 12º ano. 

Deixe um comentário