Jardim de Infância de Cabaços

27 de Dezembro de 2010

O Jardim de Infância de Cabaços situa-se no Distrito de Viseu, Concelho de Moimenta da Beira e Freguesia de Cabaços. O Concelho de Moimenta da Beira situa-se no planalto da Nave que é uma zona granítica na região da Beira. Este concelho confina com os municípios de Armamar, Tabuaço, Sernancelhe, Tarouca e Vila Nova de Paiva. O seu principal rio é o rio Paiva. Cabaços é uma das 20 freguesias da Vila de Moimenta da Beira, e dista desta 12 kms. É sede de concelho e onde se dirigem os “Cabacenses” para tratar de assuntos administrativos, de saúde e outros.

Como é um meio rural, a população dedica-se essencialmente a agricultura, pastorícia, para além de haver alguns emigrantes, alguns comerciantes e trabalhadores da construção civil na Vila do respectivo concelho. É uma aldeia grande com duas igrejas, uma delas é a Igreja matriz situada a entrada da aldeia. É também à entrada da aldeia que existe uma fonte e um tanque comunitário utilizado principalmente nos dias quentes pelas senhoras que aí vão lavar a sua roupa e outros pertences. A outra, a Igreja de S. Torcato, está no cimo da serra da Cabeça Gorda, no centro de um grande recinto onde anualmente se realiza a festa mais importante da localidade – a Festa de S. Torcato, motivo pelo qual muitos dos filhos da terra gozam as suas férias nessa altura; e é também nessa data que a aldeia é visitada por muitos turistas, por ouvirem falar da crença deste Santo que faz autênticos milagres, curando os peregrinos que aí se deslocam movidos pela Fé de que serão curados, ao colocarem nas suas cabeças o chapéu que foi do Santo. Esta festa é móvel. É realizada na segunda semana depois da festa da Sra. da Saúde, em Fonte Arcada, umas das freguesias vizinhas, e que também não tem data certa, variando esta consoante o Domingo da Páscoa. Era no primeiro dia da festa de S Torcato que se realizava a Dança dos Pretos, um tudo-nada parecida com a dança dos Pauliteiros de Miranda. Esta dança tinha 4 variantes, a dança das pandeiretas, a dança das faixas, a dança dos paus e para terminar, o rodopio. Todas estas danças eram comandadas por um Chefe e ao som de um apito. Os dançarinos (era uma dança executada só por indivíduos do sexo masculino), dançavam com a cara tapada com um capuz preto, vestiam calções azuis, camisa branca meias até ao joelho, sapatos e luvas pretas. O Chefe também usava uma vestimenta própria, não tapava a cara, usava calções azuis, casaca cor-de-rosa, uma capa presa aos ombros que lhe caía até ao meio da perna, um apito e uma espada como sinal de autoridade. Outro dos atractivos desta festa era a romaria dos rebanhos, levados pelos seus pastores que empunhavam um cajado acompanhados pelo seu cão mostravam a sua perícia na condução do rebanho ao som de um apito. Todos estes espectáculos eram realizados no recinto da Igreja de S. Torcato, que foi recentemente melhorado, possuindo um parque de merendas, um coreto, um palco e um mirante de onde se podem avistar algumas das muitas aldeias que a circundam. Foi feita uma estrada que dá acesso a esse local pelo meio da aldeia onde outrora existia um caminho que levava a uma pequena capela, a Capela da Sra. Da Guia. Tem um posto público, três cafés, duas mercearias, um salão paroquial para encontros e festas e era aqui que se ensaiava o rancho folclórico que hoje deixou de existir, por a população mais jovem se encontrar, na maioria dos casos, emigrada.

A sede da Junta de Freguesia encontra-se no Largo do Paço inaugurada a 21 de Maio de 1995, por sua Ex.a o Senhor Governador Civil do Distrito de Viseu, – Dr. António Marques. A população residente actualmente é essencialmente composta por pessoas idosas. As crianças têm vindo a diminuir, resultado da grande emigração que se verifica principalmente para Andorra, Suíça e França.

Estrutura Física da escola:

  • Hall de entrada/vestiári;o
  • Uma sala de actividades;
  • Uma sala de apoio;
  • Três W.C. (2 para crianças e 1 para adultos)
  • Um quarto de arrumos

O Jardim-de-infância de Cabaços funciona num edifício adaptado desde o ano lectivo de 1980/1981, foi construído para funcionar a escola primária. Fica situado no centro da aldeia, no Largo do Paço. É constituído por duas salas (uma sala para actividades e a outra funciona como sala de apoio) três casas de banho, sendo 2 para as crianças e uma para adultos e um quartinho de arrumos; um hall de entrada que funciona como vestiário, e é também zona de evacuação em caso de incêndio ou catástrofe natural. Tem à entrada da porta um extintor de incêndio. Tem também um recreio exterior e uma escadaria com meia dúzia de degraus que dá acesso ao edifício.

O espaço exterior a volta do jardim-de-infância é relativamente grande, tem apenas um escorrega e três árvores que dão muita sombra no Verão. No chão foi posto gravilha miúda.

A sala de actividades é um espaço agradável, que dispõe de iluminação natural, em virtude da existência de três amplas janelas numa das paredes. O chão é de mosaico plástico. Em relação ao aquecimento existem três aquecedores a óleo, que nos dias mais frios são insuficientes uma vez que esta aldeia é muito fria por estar situada no alto da serra. O material existente na sala é o tradicional, sendo as mesas e cadeiras adequadas a idade das crianças. O seu estado de conservação é bom e em quantidade suficiente para o número de crianças existente. A sua disposição pela sala tem a ver com a funcionalidade das áreas correspondentes.

O Grupo de Crianças: No ano lectivo 2010/2011 o grupo é constituído por 8 crianças. É um grupo heterogéneo.

  • Quatro crianças de 5 anos
  • Quatro crianças de 3 anos

As crianças são assíduas, exceptuando duas delas cujos pais estão emigrados, então estas só frequentam o Jardim quando os pais vêm de férias. Nas actividades propostas as crianças de 5 anos compreendem o que lhes é solicitado, e por vezes, é preciso exigir-lhes um pouco mais de aplicação nos trabalhos, porque com a ideia de irem para os jogos facultativos fazem as actividades todas à pressa. Quanto à expressão plástica, desenham a forma humana de forma reconhecível. As de três anos ainda fazem uns rabiscos, mas já conseguem transmitir aquilo que lhes é solicitado. Estas crianças acatam com alguma facilidade as regras do jogo que lhes é imposta, e tentam na medida do possível desenvolver a actividade usando essas mesmas regras. A coordenação da motricidade larga está perfeitamente desenvolvida. A lateralização por vezes é confundida, embora todas tenham a mão direita como dominante. São crianças autónomas na sua higiene pessoal, não precisando que ninguém os acompanhe. Vão todas a casa fazer as suas refeições. Há actividades que são feitas em conjunto com mais quatro Jardins. O Jardim de Baldos, o de Edemeios, o da Vila da Rua, e o do Vilar. Essas actividades são uma mais-valia para todas as crianças, pois existe um convívio saudável e inebriante que os torna mais sociáveis.

Imagens